VINTE E UM

IN UTERO / HELDER SEABRA [pt]DÉFILÉ DES POSTURES / CHRISTINE HASSID [fr]SOURCE / ANDRÉ MESQUITA [es]

“Source” de André Mesquita Cruz © João Catarino

Coreografias
IN UTERO,
Helder Seabra [PT]
DÉFILÉ DES POSTURES,
Christine Hassid [FR]
SOURCE,
André Mesquita [PT]
Interpretação
Denise Sá, Joana Couto,
José Meireles, Leonor Barbosa,
Luis Claro, Mafalda Cardoso,
Maria Sousa, Mariana Malojo,
Rita Santos, Rodrigo Ribeiro.

Desenho de luz
Joaquim Madaíl

Ensaiadoras
Sara Moreira e Inês Negrão

Produção
Kale Companhia de Dança

Dança | > 6 | 75’ (s/ intervalo)

“vinte e um” é uma criação da KALE Companhia de Dança em formato triplo, que celebra a edição comemorativa de uma visão coreográfica tripartida de André Mesquita (Portugal), Hélder Seabra (Portugal) e Christine Hassid (França). O projeto segue a visão do festival Regards Croisés (Malandain Ballet Biarritz, França), com quem a KALE se tem apresentado desde 2018 e apresentou-se no âmbito da II Edição do Festival Regards Croisés Portugal 2021, no Auditório Municipal de Gaia.

Regards Croisés é um projeto transfronteiriço de cooperação coreográfica que tem como objetivo a descoberta da dança contemporânea e a promoção de encontros entre o público, os artistas e estruturas educativas, promovido desde 2012/13 pelo laboratório de pesquisa coreográfica do Centro Coreográfico Malandain Ballet Biarritz e direção artística de Gael Domënger.

A Kale Companhia de Dança é uma estrutura cofinanciada pela Direção Geral das Artes, Ministério da Cultura, para o triénio 2020-2023.

© Vítor Ferreira

Conceito, Direção e Coreografia: Hélder Seabra [PT] | Interpretação: Denise Sá, Joana Couto, José Meireles, Leonor Barbosa, Mafalda Cardoso, Rodrigo Ribeiro | Música: Bremen13 e AntlerKingextended | Duração: 15 minutos

IN UTERO

A vida pode parecer um jogo involuntário. Desde o momento em que nascemos, herdamos a possibilidade da oportunidade e da restrição em instâncias ilimitadas.

Embora exista um sentimento de sofrimento e falta de objetivo, há também um sentimento mais profundo de cura progressiva, redenção, perdão e apoio mútuo. “Diz-se que, nenhuma árvore pode crescer para o céu sem que suas raízes cheguem ao inferno”.

© Vítor Ferreira

Coreografia: Christine Hassid [FR] | Interpretação: Denise Sá, Joana Couto, José Meireles, Leonor Barbosa, Mariana Malojo, Rodrigo Ribeiro | Música: J.S. Bach | Duração: 21 Minutos

DÉFILÉ DES POSTURES

O que ajuda a nos definir profissionalmente, onde e como nos encaixamos? Como somos construídos como profissionais? E como ajudar os pré-profissionais em treinamento a construir? … O que as noções de postura, posição e lugar podem nos dar? E o gesto? E o desfile (défilé)? O desfile é sinônimo de passagem. A passagem é para mim passando de um estado para outro na dança e na vida. Dança é vida, vida é dança …

© João Catarino

Coreografia: André Mesquita [PT] | Interpretação: Luis Claro, Mafalda Cardoso, Maria Sousa, Mariana Malojo, Rita Santos | Música: Simon James Phillips

SOURCE

“Source” (origem) é uma meditação simples sobre o corpo pensante, o corpo que dança. Uma meditação sem fim que vive no olhar do espectador em pura abstração de movimento.

A partir tão somente da reflexão sobre a palavra – origem – envolvemo-nos em fragmentos de movimento que nos levaram a passar pelo Começo, pelo Início, por Darwin, pela espécie, pelo Humano, pelo primórdio… e inequivocamente pelo amor…

A ORIGEM, desde a mais pequena partícula à mais complexa constelação de relações e formas de vida, do invisível, fragmentos de meteorito à possibilidade de um dia sermos espectadores de um fim apocalíptico.

KALE COMPANHIA
DE DANÇA

A Kale Companhia de Dança é uma plataforma de crescimento para a interpretação, expondo jovens intérpretes a criadores com linguagens físicas e artísticas distintas, com diferentes processos de criação, estímulos e conceções da dança contemporânea que compõem as suas assinaturas. A linha conceptual que alicerça a construção da identidade da Kale relaciona-se com a abertura da dança a outras linguagens artísticas, mantendo uma forte assinatura estética de fisicalidade e versatilidade técnica, assim como a contratação de um corpo de bailarinos que se adapte a diferentes linguagens e técnicas. Em 2016, a Kale assume um novo convidando diferentes coreógrafos de renome, e emergentes, para criar repertório e uma identidade na dança contemporânea caracterizada por um estilo rigoroso, técnico e de exploração de movimento genuíno, com um corpo de bailarinos jovem. Trabalhou no seu percurso com coreógrafos como André Mesquita, Matxalen Bilbao, La Tierce, Christine Hassid, Hélder Seabra, Osa+Mujika, Gilles Baron, Olatz de Andrés, Paula Moreno, Eldad Ben Sasson, Isabel Ariel, Elisabeth Lambeck, Giselle Rodrigues, Paula Águas. Do seu projeto de internacionalização, a KALE integra desde 2018 a rede Danse qui Danse, juntamente com os parceiros Korzo (NL); Matter Affects (NL); Malandain Ballet Biarritz (FR); Ginasiano Escola de Dança (PT); Dansk Danse Teater (DK); Scenario Pubblico/Compagnia Zappalà Danza (IT); National Moravian Silesian Ballet Company (CZ); Dantzaz (ES); Steptext (DE); Compagnie Samuel Mathieu (FR).

A Kale Companhia de Dança é uma estrutura cofinanciada pela Direção Geral das Artes para o triénio 2020-2022.

HÉLDER SEABRA

Nasceu em 1982, em Vila Nova de Gaia (Portugal). Começou a dançar em 2000 no Ginasiano Escola de Dança e na P.A.R.T.S. Foi bailarino da Ultima Vez/Wim Vandekeybus, sendo depois seu assistente. Entre 2000 e 2003 desenvolveu projetos com Pedro Carvalho, Ronit Ziv/Companhia Instável e Javier de Frutos/Companhia Instável. Em 2004 ele fez parte de Ultima Vez / Wim Vandekeybus e manteve-se como membro da companhia até 2008. Dançou em nas produções Puur, Spiegel, Menske e no filme Here After. Em 2009 criou Imago (para a Cia. Instável), e assistiu Sidi Larbi Cherkaoui em Dunas. Em 2010 cocriou e interpretou Rendez-Vous com Victor Hugo Pontes. De 2010 a 2016 foi membro da companhia Eastman|Sidi Larbi Cherkaoui como intérprete, assistente e professor nos projetos educativos da companhia. Desde então desenvolve o seu próprio trabalho coreográfico e leciona regularmente a nível internacional.

CHRISTINE HASSID

Inicia a sua formação em clássico na Academia de Dança de Bordeaux com Claude Paoli, tendo também frequentado curso do CNR Bordeaux e completado a sua formação no “Young Ballet of Aquitaine”. Ingressa na unidade de integração profissional Coline (direção artística de Sandrine Chaoulli), onde estuda as técnicas Limon, Cunningham, Graham e é apresentada ao trabalho e ensinamentos de Preljocaj, Galotta, Maguy Marin, Ramon Oller, Peter Goss, Serge Ricci. … Junta-se à “Companhia de Dança Batsheva Junior”, dirigida por Ohad Naharin em Tel Aviv.Volta a França, e trabalha para várias companhias de dança contemporânea (sendo estagiária da CCN, Claude Brumachon) e volta para a Compagnie Rédha. É solista e assistente de Rédha em todos os projetos da companhia ao longo dos anos. Como resultado, trabalha para Rédha na Alvin Ailey Dance Company (Nova York), Jeune Ballet de France (Paris), Pretoria Opera House (África do Sul), Het National Ballet Amsterdam (direção Wayne Eagling). Christine inicia o seu próprio trabalho coreográfico e de encenação em 2010 e em 2012 cria a companhia Christine Hassid Project, tendo ao longo destes anos desenvolvido, em França e no estrangeiro, projetos como: Beldurra, trio masculin (2014/2015)); Momentum entre au répertoire de la compagnie Dantza (2014); Un solo issu du projet Orphée.com (2016); La relecture #2 du Spectre de la Rose (2017); Spectacle ВИДЕНИЕ РОЗЫ ET CETERA, compagnie Танц Театр (2017), entre outros.

ANDRE MESQUITA

Formou-se na Academia de Dança Contemporânea de Setúbal e na Companhia Nacional de Bailado, onde iniciou a sua carreira. Como bailarino passou também pela CeDeCe, pela CPBC e pelo Tanz Companie do Stadttheater Hildesheim (DE). Iniciou a sua atividade independente em 2006. Foi Fundador, Diretor Artístico e Coreógrafo Associado da TOK’ART – Plataforma de Criação. Coreografou em companhias como: Ballet Real da Flandres (BE), Balé da Cidade de São Paulo (BR), Danish Dance Theater (DK), Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo (PT), Tanz Luzern Theater (CH), Northwest Dance Project (USA), entre outros. Recebeu os prémios: Uncontainable II (Ballet Real da Flandres); como coreógrafo (13th International Solo-Tanz-Theater Festival); de produção do Cross Connection Ballet de Copenhaga (SE).Foi artista residente do Centro Cultural do Cartaxo e do Teatro Viriato. Apresentou o seu trabalho em vários festivais e países Europeus, Palestina, Estados Unidos da América, Brasil e na China. Criou ‘Heaven – ou ainda tu’ e ‘Nós – isto é o meu corpo’, ‘Romeu e Julieta’ para o Ballet da Cidade de Niterói (RJ, BR) e ‘Salto’ para o TNSJ, que recebeu o prémio de melhor coreografia do ano 2014 (SPA), também coreografou a ‘Dança dos Sete Véus’. revisitou ‘Romeu e Julieta’ para o Ballet da Cidade de Niterói e criou ‘Córtex’. Coreografou ‘Jackie’ (Cidade das Artes, RJ, BR), ‘Alie’ (Zagreb, HR), ‘Nostos’ (Teatro Maria Matos), ‘Corpus’ (Balé da Cidade de São Paulo), ‘Play’ (Teatro Viriato).