UNFINISHED'22

BOLSAS DE CRIAÇÃO
MOSTRAS 30 JULHO, 19H00
ARMAZÉM22, GAIA

CATARINA CARDOSO RIBEIRO
CAROL

A trágica história de uma pessoa que aceita mudar.
Fala-se de uma pessoa extravagante, mas simples. Um drama divino. Uma comédia distorcida. Onde se nos rirmos demasiado choramos e a inquietação corrói os vazios feridos. Há um corpo a desfigurar a dita forma. A deformar normas. A desafeiçoar o corpo da realidade. Diz-se que é algo dolorosamente agradável.
O enredo toma forma, transformando o corpo. De dentro para fora. Do pensamento ao físico. Procura-se ordem no caos e encontra-se o caos na ordem. Como se o ato de aceitar procurasse monstros do outro mundo e mudasse tudo.

Catarina Ribeiro (1997), é uma bailarina portuguesa que pretende enriquecer e desenvolver a sua linguagem coreográfica. O percurso artístico em dança inicia-se na cidade do Porto onde frequentou o ensino secundário na Escola de dança Ginasiano, e continua assim que foi aceite na Universidade de Artes ArtEZ, nos Países Baixos. As suas peças destacam-se pela união de cores fortes em contraste com a sensibilidade e sobriedade do seu movimento. Deste modo, surgiram oportunidades de coreografar para a Kibbutzim College (IL), De Nieuwe Oost (NL) e com a Companhia Instável (PT). Catarina tem vindo a trabalhar como bailarina com, Cristina Planas Leitão, Elisabeth Lambeck, Jan Martens, Cecilia Moisio, Monique Van Hinte e Felix Landerer. Catarina é cofundadora, da companhia de dança Lazy Susan & Co, situado em Roterdão, onde atualmente reside.

CATARINA BRANCO
& MAGDA ALMEIDA
MEMÓRIAS DO FUTURO

“Todos nós pensamos e conseguimos presumir o futuro da humanidade, no entanto passamos pouco tempo a pensar sobre o futuro de cada um de nós, enquanto indivíduos, e ainda menos tempo pensamos no fim inevitável: a morte.
Memórias do Futuro propõe o exercício desconfortável que é pensar, de forma desapegada, no futuro de cada indivíduo, do cómico ao trágico, do mais relevante ao mais insignificante, passando por desafios e conquistas, numa tentativa de pensar a condição humana e em como esta tarefa de viver é tão difícil quanto prazerosa.”

Catarina Branco, 17 de Junho de 1992, Porto. Tem Mestrado Integrado em Arquitetura e experimentou dança pela primeira vez em Outubro de 2017. Em 2020 concluiu o FAICC da Companhia Instável, com bolsa de estudo parcial. Em 2021 concluiu a formação em Dança no Institute of Arts Barcelona. Enquanto intérprete participou em confiança, ser, ruin[ed], texturas, frágil, ginkgo, oniros de Noé Quintela, Bodies in Urban Spaces de Willi Dorner e no Porto Drag Festival 2021 com a drag queen Lilly Prozac de André Americano. Enquanto coreógrafa estreou a primeira edição do projeto reCoVered2020 a 6 de Junho de 2021 e a 28 de Novembro de 2021 a sua segunda edição, com apoio da CRL – Central Elétrica, DRCN, Theatro Gil Vicente e Pax Julia-Teatro Municipal.

Magda Almeida, 1996, Gaia. Estudou no Ginasiano Escola de Dança. Em 2014 foi-lhe atribuída uma bolsa pela GDA que a permitiu iniciar o seu curso superior na ArtEZ University of the Arts, Holanda. Durante a sua estadia na Holanda teve oportunidade de trabalhar com Skandalisi Dance Company e na companhia de Stilte dans voor kinderen. Enquanto intérprete trabalhou com Joana Providência, Ana Figueira, Joan Jonas, Catarina Branco e Noé Quintela. Em 2020 iniciou uma pesquisa coreográfica com Cacá Otto Reuss, onde exploram a temática da memória de infância de cada uma e os estados presente e ausente. Resultou em “In__acabado” uma peça de dança contemporânea apresentada no Projeções no Coliseu do Porto e no Festival Lugar Futuro em Viseu.”

Está aberto o Open Call Bolsas Criação UNFINISHED 2022!

O Unfinished é uma plataforma internacional para a discussão, criação e apresentação de trabalhos de investigação, pesquisa e experimentação na área das artes performativas, e tem como objetivo a criação de espaços de trabalho, apresentação e discussão, entre pares e diversos públicos, de trabalhos em processo,  permitindo uma maior permeabilidade entre os diferentes tempos implicados na criação contemporânea e criando um espaço onde o teste e o
erro fazem tanto parte do processo de criação.

A Bolsa de Criação 2022 irá decorrer entre março e dezembro e servirá de incubadora aos processos criativos de dois jovens criadores portugueses, definidos por convite público entre 7 janeiro e 1 fevereiro 2022, oferecendo o Armazém22
como espaço de trabalho, a participação no Open Labs e o acompanhamento continuado de Joana Castro, direção artística Kale Companhia de Dança.

Comunicação resultados a 11 fevereiro 2022.

As Mostras em Processo são destinadas aos artistas das Bolsas de Criação acontecendo no final do OpenLabs e ao longo do processo de criação. Abertas ao público, serão chave no processo criativo, com foco no feedback construtivo e positivo que será orientado e moderado pela direção artística. Para 2022, as Mostras estão planeadas para 16 abril, 30 julho (Open Day) e 17 dezembro 2022.

O Open Labs estende-se por 6 dias de Verão e dirige-se a profissionais que tenham como principal preocupação no seu trabalho o corpo em performance nas suas componentes física, mental e energética. Para tal convida como intervenientes artistas e pensadores de contextos sociais, artísticos, políticos e territoriais específicos em que o corpo é o meio de comunicação e de intervenção artística. O Open Labs será orientado e moderado por Joana Castro (Direção Artística Kale Companhia de Dança). Os convidados para o Open Labs foram escolhidos tendo em conta a pertinência da sua investigação artística de modo a revelar diferentes modos de operação artística. Para 2022, está planeada a 3ª Edição, que decorrerá de 25 a 30 de julho no Armazém22, Gaia. Inscrições abrem 29 Abril 2022, Dia Mundial da Dança.

Destinatários:
O Unfinished dirige-se a profissionais que tenham como principal preocupação no seu trabalho o corpo em performance nas suas componentes física, mental e energética. Convidam-se como participantes, investigadores e artistas envolvidos das áreas das artes performativas, plásticas/ visuais e de cruzamentos artísticos.