OCEANIQUES
ANONYMES

© Hélène David

Kale Companhia de Dança
Joana Couto, Gustavo Magalhães,
Mariana Malojo e Rita Neiva Santos

Poème en Volume
Jean-Gerald Dorseuil, Ederson Xavier,
Gaël Domenger, Hélène David, Laurent Davaille, Arnaud Romet e Donatien Garnier

Sedeado em França, e fundada por Gaël Domenger e Donatien Garnier, desenvolve a sua estética a partir de um diálogo entre texto e dança contemporânea, trazendo uma transdisciplinaridade muito aberta (artística, científica, documental, técnica).

A apresentação desta noite é o resultado da residência artística proposta por POÈME EM VOLUME, em coprodução com a KALE Companhia de Dança, realizada durante o mês de Agosto 2020, no Armazém22.

“Eles garantem o transporte de 80% das matérias-primas e mercadorias consumidos por todo o mundo, vigiam as fronteiras em movimento e arriscam-se em águas cada vez mais perigosas para abastecer o planeta ou para melhorar o recorde de velocidade.

Neste momento, são quase dois milhões “deles”, navegando em alto mar, longe de tudo e todos, por períodos até onze meses. Sem eles a globalização contemporânea não seria possível, mas quem os conhece verdadeiramente? Quem sabe que eles existem? Há cerca de 10 anos, que a fotógrafa Hélène David e o poeta Donatien Garnier, documentam o quotidiano destes homens e destas (muito raras) mulheres para ouvir as suas palavras e mostrar as suas vidas. É a partir deste trabalho, e seguindo um processo evolutivo e coletivo, que o coreógrafo Gaël Domenger monta “Océaniques Anonyme”, cuja primeira etapa de trabalho é apresentada esta noite, ao fim de três semanas de residência artística no Armazém22.

Com uma equipa composto por 6 bailarinos, 1 fotógrafo, 1 escritor, 1 compositor e 1 desenhador de luz, convidamos o público a embarcar neste mundo instável e invisível, sempre em movimento. Este espaço-tempo distorcido por forças múltiplas e frequentemente contraditórias. Para o bem e para o mal.